Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006

Olhar para trás com raiva? - Façam de 2007 um ano suportável!

Mais uma vez o mundo está prestes a virar mais uma página na sua história. Faltam pouquíssimos dias para fechar a porta de 2006 e abrir de par em par o pórtico de 2007 (sempre ornamentado de palmeiras de ouro e lírios de pureza e trevos de quatro folhas e, até, das supersticiosas roupas interiores azuis…).

Hora crucial para fazer um balanço do que andamos para aqui a fazer durante 365 dias. Eu acho espantoso como se podem tomar tantas atitudes no ano novo! Parece que as barreiras que não nos deixavam fazer as coisas de maneira diferente desaparecem! Grande treta! Nós continuamos a ser a mesmas pessoas, só há mais um ano e mais uma taça de champanhe e mais 12 uvas passas em cima de uma cadeira. Mais 12 desejos que não se concretizam. Contudo, acho que é importantíssimo fazer o tal balanço anual. Parar, durante uma hora se tanto, e passar revista às coisas que fizemos durante o ano; assim, à maneira jornalística, para salientar os podres e os tesouros do ano da sociedade e do mundo.

E se nos pusermos a ver, nem que seja à lupa, o nosso ano, conseguimos discernir muitos e muitos bons momentos, por vezes em maior número que as tormentas. Posso dizer, de peito aberto, que este ano foi bom para mim. Venci a maior crise pela qual já passei (a depressão), fiz uma viagem fantástica com pessoas fantásticas, conheci gente inesquecível, comecei um desafio que propus a mim própria…

Mas muitas coisas más também toldaram o Sol. E fizeram parecer que o ano foi uma valente porcaria. E essas coisas que são aumentadas quinhentas mil vezes nas dioptrias dos da minha idade são, afinal, pequenos desafios, ou não, pequenas contradições as quais fugimos porque achamos sempre que não somos capazes de resolver.

Todos os anos tenho fé de que tudo será diferente e (ao contrário do que todos pensam) eu faço para que tudo seja diferente, mas sozinha não consigo mudar o que está à minha volta. E, desta forma, todos os anos me mentalizo que será para o ano…

Mas, como não posso mudar os outros nem, principalmente o que os outros sentem e fazem, deixo uma pequena mensagem para o início, meio e fim do ano 2007:

 

“My soul slides away, but don’t look back in anger

I heard you say”

 

Um oásis no meio do nosso deserto e um conselho: em 2007 não olhemos para trás com raiva, olhemos para o futuro com esperança.

Já agora ouçam a música toda dos Oasis “Don’t look back in anger” (sei que há um grupo de pessoas que por mais que viva só será capaz de ouvir esta música a cantá-la muito alto e a recordar uns dias impossíveis de apagar da memória) – porque, citando uma figura da nossa televisão, já fui muito feliz a ouvir esta música.

publicado por MB às 17:54
link do post | explanare | favorito
2 comentários:
De ***Lazarita*** a 3 de Janeiro de 2007 às 19:23
oi lindinha... uiui mt bem sim senhora... ta mt fixe...

bem linda desculpa mas eu neste momento nao tou la com mt jeitinho para faxer comentarios.. mas pronto o k conta e a intenxao.. lol... eheh...

nnc te exkexas! acontexa o k acontexer... tem de ser sempre em frente oki...???!!!

bjs adrt mt mt mt.. ( coisa k tu ja sabes...) lololololololol
De Chefe da Refer a 10 de Janeiro de 2007 às 21:33
Neste momento não tenho comentários quando tiver divulgo-os. Beijinhos

Comentar post

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa