Domingo, 13 de Janeiro de 2008

Só eu te posso ajudar... (provavelmente não...)

  

Olha para mim, diz-me quem tu és

Olha bem pra mim, diz-me quem tu vês

Em mim acendes o desejo que deixei pra lá do mar

 

Só eu te posso ajudar

Só eu te posso ajudar, a atingir esse bem-estar que vem no fim

 

Diz-me se é amor

Fala-me de ti, eu quero o teu sabor

Em mim ficou esse teu beijo

Que me deste ao pé do mar

 

Só eu te posso ajudar

Só eu te posso ajudar, a descobrir esse lugar pra lá do fim

E dizer: "meu amor, meu amor, que bom que é pra mim

meu amor, meu amor, que bom que é no fim"

 

Hummm, porque hoje ouvi isto ao vivo… porque hoje isto me arrepiou a alma e me fez querer esse lugar “pra lá do fim”…porque me fez lembrar que há mares interiores que nos separam de quem queremos amarrar a nós, sem amarras que prendam pássaros que não pousam no nosso parapeito… A música é linda, não é? Cada palavrinha, cada, me fez lembrar que há pássaros que voam pela minha janela, mas que não podem pousar no meu parapeito…

música: Só eu te posso ajudar - Delfins
publicado por MB às 00:44
link do post | favorito
De ______ a 17 de Janeiro de 2008 às 22:16
Comentário Standard:

- Desafio porque me apetece -

Escolher uma das suas canções preferidas e falar sobre ela seja em poesia ou prosa ou mesmo numa breve apreciação do que essa música lhe transmite, pois até pode ser do século passado porque há que prantar a letra no post.

Como eu até nem costumo lançar desafios, nem sou apologista de… porque cortam a liberdade ao autor do blog, impondo-lhe uma ideia, já sabe pode sempre não estar nem aí e marimbar-se, literalmente, para isto que com certeza o céu não lhe vai cair na cabeça… já algum objecto…nunca se sabe!! Ah pois… e também não ganha nenhum prémio… azarito!

Cumps.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa