Quinta-feira, 16 de Agosto de 2007

Estudo poético em jeito de Melancolia

O vento que embala as ondas do mar

E da melodia dos teus olhos é

A suprema plenitude dos tristes que nunca atingirão

O teu pedestal de divindade.

 

 

(e é tudo o que tenho a dizer. As palavras hoje não quiseram ficar comigo)

música: Bola de sabão - Boitezuleika
publicado por MB às 10:58
link do post | explanare | favorito
|
2 comentários:
De KI a 17 de Agosto de 2007 às 16:27
Eu é que não tenho palavras para comentar tal grandeza...

Beijos melancólicos
De AEu a 17 de Agosto de 2007 às 17:44
Oh colega, esta tua melancolia é muito produtiva! Parabéns! No entanto isso contrasta um pouco com o Sol que irradiava no Marreco, vindo de vários quadrantes! Isto é, múrmurios, ou melhor, ecos, que andavam no ar! Mas está bem! Sabes, a poesia é um pouco como a "suavidade" na fotografia! O contraste entre os vários planos é diminuído, de forma a evitar roturas ou cortes! Tudo se vai desvanecendo!
Beijinhos, AEu

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa