Quinta-feira, 12 de Julho de 2007

Visita à Alma

Sentei-me no nosso lugar para me poder ver por dentro.

Sabia que podia esperar-te no nosso sítio

de sempre. Sabia porque consegui respirar-te. E enquanto

conseguir respirar-te, mesmo que não seja no nosso lugar,

sei que posso esperar pelos teus olhos que abrem o mundo

e mostram que os instantes duram o tempo que nós

quisermos.

(…)

Quem passa e anda,

sem parar para sentir o vento, não vê a alma.

Não vê o amor.

Não vê a música que nasce dos teus olhos.

Sentei-me no nosso lugar para me poder ver por dentro.

Sentei-me no nosso lugar para te poder ver.

Só para fechar os olhos e sentir na minha mão

a tua impressão digital, o teu toque

que abraça a alma.

 

 

Nada é impossível, basta olhar a Alma. Complicar para quê? Para deixar de ver a Alma, para deixar de ver as coisas como elas são? Para arranjar artifícios que não deixam a Alma e o Coração conjugarem-se e levarem o corpo para a dimensão que está mesmo ao nosso lado? Como dizia a avó do Saramago: O mundo é tão bonito e eu tenho tanta pena de morrer.

O Hoje é tudo o que temos…

Carpe Diem!

publicado por MB às 18:02
link do post | explanare | favorito
|
2 comentários:
De kituta a 13 de Julho de 2007 às 15:23
Martinha, mais uma vez deixaste-me sem palavras... Deixas-me sempre tão "wowww" que nem sei o que te dizer...
Lindo, como sempre...
Parabéns!
Continua...
E, como se diz na minha língua, "Curte a vida!"...
:p
Beijitos
De KI a 17 de Julho de 2007 às 09:54
O Hoje é tudo o que temos sem amanhãs. Isso é que é a verdadinha.Muito bem dito MB!
E belo texto, como sempre, visitar a alma...se bem que há alturas que ela saiu para passear... e sim,concordo, quem apenas anda sem aprender, sem observar, sem dar importância a um pormenor que pode ser o tudo num dia, de facto nada vê...

Carpe Diem sem amanhãs.

Beijos

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa