Domingo, 26 de Julho de 2009

Na Mão de Deus

Na mão de Deus, na sua mão direita,
Descansou afinal meu coração.
Do palácio encantado da Ilusão
Desci a passo e passo a escada estreita.

Como as flores mortais, com que se enfeita
A ignorância infantil, despojo vão,
Depus do Ideal e da Paixão
A forma transitória e imperfeita.

Como criança, em lôbrega jornada,
Que a mãe leva ao colo agasalhada
E atravessa, sorrindo vagamente,

Selvas, mares, areias do deserto...
Dorme o teu sono, coração liberto,
Dorme na mão de Deus eternamente!

Antero de Quental

 

Houve alguém que teve sorte. Espero que da próxima vez seja o meu tempo de a ter.

 

música: Gaivota - Paula Oliveira & Bernardo Moreira
publicado por MB às 22:50
link do post | explanare | favorito
|
3 comentários:
De KI a 27 de Julho de 2009 às 19:30
Olá Marta, tens alguma coisa para reclamar? se quiseres manda me um texto para trapezista@sapo.pt e podes visitar o http://trazoutroamigotambem.blogs.sapo.pt/ A ideia é só reclamar sem mais nenhuma condição, do que te apetecer ou de quem te apetecer!
De KI a 27 de Julho de 2009 às 19:33
Desculpa o link do blog n é esse é este:

http://silly_season.blogs.sapo.pt/
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 28 de Julho de 2009 às 12:09
Ora viva!

Não gosto de poesia, ou porventura apenas duma certa poesia. Prefiro antes palavras que rimem entre si mesmo quando baralhadas de cabeça para o ar.

Um abraço...
shakermaker

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa