Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

As Monumentais Festas do Casamento da Gata - Os Poisos

 

Depois de uma árdua e verdadeiramente profícua reunião com a Parcimónia (empresa de organização de e(n)ventos da qual eu sou sócia com 1,9% das acções), chegamos a uma lista de poisos por onde os convidados peregrinarão (verdadeiramente) ao longo do dia.


 

Começamos pois por pensar no “mata-bicho”, vulgo pequeno-almoço, uma vez que o dia vai ser ligeiramente longo e penoso. Desta feita, os convidados concentram-se – como nos encontros de clássicos (ideia da patroa) – ao pé da Junta de Freguesia da mui nobre e sempre linda aldeia de Mouriz. Pensando no conforto dos convidados, elegemos este sítio por ser o único parque de merendas da zona, além de que fica pertíssimo do local da cerimónia. Assim, depois de distribuirmos um shot de bagaço e meia fatia de broa com presunto (vida saudável de aldeia), seguiremos em procissão até à Igreja de São Romão de Mouriz para proceder à dita cerimónia oficial. Da Igreja seguiremos até à estação da CP de Paredes para apanharmos o comboio rumo a Braga. Chegados a Braga, depois de uma pequena paragem em Ermesinde para trocar de comboio, os convidados apanharão o 02 que vai para o Bom Jesus – casamento que se preze tem que escolher um sítio que fique totalmente descontextualizado para a foto! - enquanto que eu irei de carro ProBono, que me espera solenemente em frente à estação da CP de Braga, de cabelo ao vento e merengue a sair pela viatura. Se o noivo couber no carro tudo bem, se não couber pode sempre apanhar o 02, não quero que pensem que eu vou monopolizar o dia.

Depois das fotografias protocolares, seguiremos rumo à Rua de Barros (ao lado daquela entrada da Universidade do Minho que não é bem a norte nem a sul) para um espaço lounge de requinte alimentar – o Speedy. É, de facto, um sítio acolhedor e bem arejado, com vista para o Bom Jesus, criando assim uma certa empatia com a paisagem cultural da cidade dos Arcebispos. E do almoço passaremos ao café, tomado na máquina - vulgo Kikko - do Instituto de Ciências Sociais (quase segunda casa de alguns convidados). E como este dia terá que ser feito dos locais que mais nos dizem, decidi que vamos comer a sobremesa a Letras, onde tem, normalmente, os melhores doces, segundo João de Oliveira (ir comer a Letras é quase um imperativo na vida quotidiana dos mais chegados). E enquanto passeamos pela Universidade, já o Speedy foi reorganizado e tornado num magnífico espaço de baile – estamos ainda em negociações com os artistas que abrilhantarão a tarde, tendo já confirmada a presença das Divas - Coisinha Ruim, Samantha de Corleone e SéliaSónia, também conhecida por SS -, ajuntamento musical surreal do qual eu sou vocalista.

E a tarde há-de prolongar-se noite dentro e os convidados poderão usufruir do espaço até o sol raiar. Quanto à noite de núpcias, será umas entradas ao lado do espaço de festa, algures num apartamento por cima de um outro espaço lounge de requinte alimentar (New York), propriedade da Dama de Horror Marina de Uta. Não estou certa de que haja colchão, mas soalho tenho a certeza de que há muito!

Relativamente às listas de casamento, peço desculpa pelo meu esquecimento, dentro de poucos dias as listas de casamento serão colocadas nas reuniões da Tupperware e em duas lojas de produtos orientais manufacturados, na rua D. Pedro V, em Braga (mesmo de frente ao Bar Académico e Associação Académica).


 

Agora, é tempo de começar a tratar de organizar com algum cuidado as pessoas que me vão ajudar mais de perto nesse dia e de preparar a despedida de solteira!


 


 

Trulilooooooo!


 


 

©Este é um casamento com a chancela ProBono, Parcimónia e Faqueiro de Prata.

música: Escape (The Pina Colada Song) - Rupert Holmes
publicado por MB às 20:34
link do post | explanare | favorito
|
6 comentários:
De Joana Romão a 15 de Maio de 2009 às 21:07
Quero ser dama de honor!!!!

De Silvéria a 15 de Maio de 2009 às 23:08
E eu vou ser o quê?
De Marina de Uta a 15 de Maio de 2009 às 23:20
Como me orgulho de te ceder o meu requintado palácio para a noite de nupcias. Estás certa! Nao há colchão... peço desculpa por isso! Disseram-me que a loja nao era bem a norte nem bem a sul e fiquei confusa :s
Enfim. estou mesmo entusiasmada com isto de ser dama de horror. :)
De David Pereria a 16 de Maio de 2009 às 15:08
Olá senhora noiva!
Como estás?
Posso passear no carro da Pro Bono antes do casamento, apenas para o testar?

Beijinho grande!
De Empresária RIBARI a 16 de Maio de 2009 às 18:39
Atenção a empresária ainda não confirmou, nem (des)confirmou a presença das divas... falta caché €€€€€
A empreséria RIBARI
De José de Miranda a 19 de Maio de 2009 às 23:46
Não vejo a hora de comer!!

"Eu vou comer, comer, comer..."

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa