Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

As Monumentais Festas do Casamento da Gata - o Convite

E quando pensamos que vimos de tudo neste mundo, que uma prima já casou e que um primo se prepara para torturar pessoas com a mesma cerimónia em Junho, eis que eu decido casar.

Como poderia eu fazer uma coisa destas sem uma lista de convidados? Por isso aproveito este solene momento para vos convidar amigos, inimigos, sorridentes e trombudos, ex-amigos e ex-inimigos (e outros ex que por aí andem, ou não), gente sem queda “pró negócio”, gente que cai no negócio, gente com o olho bem aberto e aqueles que ainda não o abriram (em geral, porque em específico já o fizeram) para a mui nobre celebração do meu matrimónio.

Mas, se pensas que é fácil participar neste pomposo evento – “sugadito”! Para além de preencher os requisitos supra mencionados terás, também, que satisfazer umas destas maravilhosas características:

  1. chegar a meio da cerimónia, fazer um cagaçal e ofender o celebrante;
  2. deixar o telemóvel com um som cujo toque seja o “Sonhos de Menino” do Tony Carreira;
  3. ter a lata de atender o telemóvel aos guinchos;
  4. trazer a roupa de Domingo que apenas sai à rua na Páscoa e funerais e cheira a naftalina que tresanda e ainda borrifar-se generosa e fartamente de belíssimos odores made in 1,5€ (vulgos lojas dos 300);
  5. maquilhar-se como umas certas pessoas da minha família (e não, não é a Maggie, são mesmo umas senhoras mais a cheirar a naftalina);
  6. empurrar toda a gente – se preciso espancar – para chegar à mesa dos aperitivos;
  7. pegar no prato do camarão, levá-lo para um canto recôndito e escuro (nem que seja ao pé do WC, como as tias do João) para que mais ninguém veja que há desses bichinhos do PSD;
  8. trazer tupperware na malinha para mandar filhos, sobrinhos ou demais parentes com impunidade judicial surripiar discretamente as sobras;
  9. não comer durante mês e meio para evitar comer pouco comida gratuita;
  10. aprender e dominar perfeita e correctamente a arte de bem executar as duas magníficas composições musicais “Boa sorte” e “Vamos brindar ao vinho verde” (com perfeito domínio da coreografia  com guardanapo branco de mesa).

 

Ora bem, se te enquadras nestas características, filia-te neste casamento, comenta e aguarda as próximas novidades deste e(n)vento memorável com a distinta marca e organização da Parcimónia e Faqueiro de Prata.

 

Até breve, vou à procura do vestido!

 

Trulilooooooo!

 

música: I'm a believer - The Monkees
publicado por MB às 19:45
link do post | explanare | favorito
|
7 comentários:
De Silvéria a 7 de Maio de 2009 às 20:48
És uma tola!!! :P
Aposto que a culpa é do João... ou não tivesse ele hoje ficado possuído com umas certas indecências que se pavoneavam no ICS...

Mas o pior é que eu já andei a abanar guardanapos gordurentos e desejei boa sorte :O
De David Pereira a 7 de Maio de 2009 às 21:15
Martinha...
Rendeste-te às evidências. Eu não poderia deixar passar em claro este magnífico texto que poderia fazer parte de uma revista científica sobre casamentos!!

Eu com este comentário espero poder estar presente...

Posso-me candidatar???(Tu sabes a quê...)
De Laú a 7 de Maio de 2009 às 21:50
Afilhadita.
Conta comigo.
Eu fico responsável pela parte musical do casório. Prometo adormecer e roncar bastante para fazer os efeitos sonoros. Lol
Beijokinha
De Ricardo Mendes a 13 de Maio de 2009 às 21:10
Conta comigo ;)
De KI a 8 de Maio de 2009 às 13:58
Promete. Onde? Onde. Gosto das características que pedes mas a criatividade ainda pensa noutras :)

Dá notícias!
De David Pereira a 10 de Maio de 2009 às 13:20
Ainda não me respondes-te se podia ou não candidatar-me??
De zi a 10 de Maio de 2009 às 20:41
AI! confesso k costumo levar tupperware...pos bolos :D so bolos... e é benhe grande!

S precisares de ajudo po vestido...tenh jeitinhu com as mãos;)

bjinhusss

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa