Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

Cartas a um jovem desconhecido

 

Sabias que amanhã é um outro dia qualquer em que não importa onde estás, mas que estás. Que importa onde andas se não sabes que andas? A vida é, em si, um ser muito cruel. Vê lá tu que ela nos proporciona um nascimento que só existe para que morramos ao cabo dele.

 

Será que és capaz de ser mais cruel que a vida e resistir-lhe noite após noite no crepúsculo adiado de um fim de luta sem desforra? Sabias que amanhã é um outro dia qualquer? Não importa saber que dia é que é nem cronometrar actos de hipócrita bravura. Já te propuseste a saber se és mesmo tu que fazes o que teu corpo executa?

 

A Sibila hoje perguntou-me por ti. Quis saber se ainda eras tu a dar corpo à tua voz. Ou se te tinhas esquecido de estar para tentares descobrir onde estás. Não soube que lhe dizer e atirei-lhe com umas quantas mentiras à cara, descobrindo onde estou, esquecendo que estou. Amanhã é outro dia e não importa que dia é. Eu não sei que dia é. E também não sei onde vou estar. Tu sabes?

 

Já planeaste o teu outro dia qualquer de amanhã? Já definiste a que horas te levantas, comes, trabalhas? E viver? Já definiste a que horas vais viver?

Fica a saber que amanhã é um outro dia qualquer em que não importa onde estás, mas que estás. Sim?

 

E hoje? Hoje já paraste para te lembrares que não gostas de textos carregados de interrogações?”

música: Human - The Killers
publicado por MB às 23:59
link do post | explanare | favorito
|
1 comentário:
De Marina a 27 de Janeiro de 2009 às 00:13
Em duas palavras: Estou arrepiada!
É um daqueles momentos em que sinto que não direi nada à altura.. mas estou mt feliz que nos tenhas voltado a dar a honra de ler o que escreves porque é simplesmente lindo ler-te!

bjus
goxmuiti

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa