Sexta-feira, 14 de Setembro de 2007

Rosa dos Ventos

Seria incapaz de definir um olhar. Talvez porque sou uma comum mortal, talvez porque nem todos os olhares têm a mesma intensidade… São especulações. Meras hipóteses que não poderei validar porque sou incapaz de definir um olhar. Mas, o não saber definir um olhar ou um toque ou um sorriso faz parte da aventura. Ficarei profundamente triste quando o conseguir, porque será sinal de que já não tenho mais a aprender.

 

É por isso que quero descobrir aos poucos tudo o que me rodeia. Assim, tenho sempre uma desculpa para ficar “por cá” a atazanar a vida dos que, provavelmente, até nem estão muito interessados neste meu paleio triste.

 

Contudo, ao ser incapaz de definir um olhar, um toque, um sorriso sou tão capaz de lhes dar tanto valor! Estou mais certa do que alguma vez estive que as palavras só nos castram a alma. Quero que os meus olhos sejam o limite do meu mundo. Quero que os meus olhos abracem o mundo!

 

Os meus olhos hão-de ser a bússola da minha alma. Mesmo que encontre o meu sul ao norte ou o meu norte ao sul!

música: Ao Sul - Isabel Silvestre
publicado por MB às 17:10
link do post | explanare | favorito
|
2 comentários:
De kituta a 15 de Setembro de 2007 às 19:30
:D
De Kel a 16 de Setembro de 2007 às 11:00
as vezes basta um sorriso para k nos encham o nosso coração com uma pekena alegria, de alguem k s preocupa connosco e k apesar d tudo nos ker ver com um sorriso nos lábios. ;)

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa