Sábado, 25 de Agosto de 2007

"We get a little crazy"

Quando achamos que já vimos tudo o que há para ver neste mundo, eis que um membro da família decide casar e aí vamos nós num chorrilho de aberrantes anormalidades. O dia de hoje foi, sem manobra para qualquer tipo de dúvidas, uma experiência traumática.

Família é um bicho raro. Que se torna completamente assustador quando supostamente vestido para cerimónia e maquilhado para circo. Já para não falar dos efeitos que o vinho e a farta comida que chega às mesas provoca. Enfim… Já para não falar do acompanhamento musical de um senhor que eu juro que atropelo quando tirar a carta ou, então, quando me deixarem guiar…

Mas isto dos casamentos tem que se lhe diga! Todo o ritual é uma coisa que chega a roçar o estranho. Convites: para quê convidar meio mundo se depois não temos sequer vontade de falar com os convidados? Cumprimentos: dar beijos às tias todas que só nos dizem que estamos mais gordas ou se já temos namorado; ou então que dizem não nos conhecer e nos olham de soslaio porque estão a fazer um frete maior do que o nosso. E não sei porquê! Até se toma banho nestes dias e até vamos ao cabeleireiro… Enfim… Fotógrafos: gosto muito de um, mas os outros, Deus me livre! Então o de hoje… Quintas: tudo bem que é preciso dar uma recepção aos convidados, mas não é preciso um “enfarta-burros” lá para trás das pedras onde parece que a civilização não chegou!

Podia continuar, mas é melhor não. A minha dúvida existencial, hoje, é a seguinte: sendo o casamento um acto civilizado (porque o é, de facto), porque permitem tanta falta de civilização, decoro e bom-senso neles?

 

Estou traumatizada!

 

Para a semana tenho outro, mas esse vai ser diferente!

música: Crazy - Seal
publicado por MB às 21:32
link do post | explanare | favorito
|
3 comentários:
De AEu a 26 de Agosto de 2007 às 22:03
Oh colega! Podias ter aproveitado o evento e dado um cartão a todos os membros da família! Como apesar da pouca (ou nenhuma) civilidade existente, quase todos já tem acesso à net e a outros meios de comunicação altamente sofisticados dos quais nem 10% das potencialidades usam, e continuam a ser burros que nem portas, aproveitavas e davas umas aulas via e-learning ! Este palavrão está na moda e vai ser o futuro da formação (tipo telescola que já acabou).
Sabes que o nosso primeiro e a dama da educação têm andado por aí a distribuir computadores portáteis com acesso à net ?
Parece impossível, mas é verdade: Passados trinta e poucos anos após a revolução, estamos mais ignorantes que nunca, e nuca soubemos tão pouco. As amostras estão por aí distribuídas, e são pior que uma praga!
Não te iludas que as coisas não melhoram! Vai demorar algumas décadas e gerações! O bicho HUMANO é complicado demais! E Homens que queiram realmente fazer revoluções culturais, há muito poucos! No meu tempo de vida, till now ", só conheci o JPII . E mesmo esse quiseram matá-lo, quiçá até dentro da sua própria hierarquia, pois estava a progredir demasiado em sentidos que as trevas não querem!
Trevas? Sim, trevas! Pois não esperemos que sejam os políticos a fazer grandes evoluções! Apenas para a sua bolsa de poder! E a Igreja está mesmo nas trevas, acomodada e em digestão de grandes e faustas comezainas, ou por outras palavras ... fatias de poder!
Enquanto isso o nosso "pobre" e ignorante povo vai caminhando e alimentando-se do ópio que lhes fornecem! Outrora o futebol, nos nossos dias, as novelas já em decadência, reallity shows e tudo o que as regras das audiências ditam para os paspalhos verem!
E o resultado pode ver-se também nestas manifestações de pseudo civilidade!
Esta é a nossa fotografia! Com mais ou menos pixéis , não conseguimos que fique bem!

Beijinhos
De KI a 28 de Agosto de 2007 às 20:05
Acho qeu a minha melhor amiga ainda hoje n me perdoa eu n ter ido ao casamento dela, mas de facto são cerimónias para as quais n tenho a mínima pachorra!As poses, as fotos, a converseta da treta, arre!!

E tu descreveste na perfeição estas cenas que nos são impostas, mas que esse casamento p´roximo seja uma festa realmente.

Beijos ;-)
De nicas a 29 de Agosto de 2007 às 13:16
isabelinha , rica descrição daquele rico dia, até o s.pedro fez questão de não colaborar.
para que se saiba essa das tias que não nos conhecem é comigo. sim, porque lá porque estou a morar no Alentejo , vejo-as precisamente com a mesma frequência com que as via antes, que é absolutamente nenhuma!
mas sim tens razão, a festa de domingo vai ser melhor com certeza, tirando uma piadita ou outra que não vão ter graça nenhuma.

Comentar post

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

© Marta Barbosa 2007

recentes scripta

Sibila est

Hipotermia (II)

Quarto de Pandora

António

Quiet Nights of Quiet Sta...

Catarse

RP sem Croquetes!

Por una Cabeza

Imortal

porta

Monólogos de Valium

Tardes de Saudade e um Ge...

...

Moinhos de Vento

Bilhete para o fim do dia

designed by Rui Barbosa